Mulher

Mulher

Mulher

Dia Internacional da Mulher no CIESP Guarulhos

Na manhã desta quinta-feira, dia 8 de março, o CIESP Guarulhos, através do Núcleo de Recursos Humano, realizou seu evento do Dia Internacional da Mulher.
O evento reuniu cerca de 70 pessoas, em sua maior parte mulheres das empresas das associadas, de entidades parceiras e convidadas.

O evento foi aberto pelo sr. Leon Katchadourian, facilitador no NRH, com uma homenagem às mulheres, depois a palavra foi passada para o diretor titular da entidade, Maurício Colin. O diretor destacou que hoje sua empresa conta com 30% de mulheres no quadro de colaboradores. No setor de fundição são 8% de mulheres, em um serviço pesado, “hoje o espaço que a mulher ocupa na indústria aumentou em 30% nos últimos 15 anos”. Colin ainda disse que dos empreendedores que existem atualmente no país, entre 14 e 29 anos, 40% são mulheres. “As mulheres tem uma base diferente. É importante estarmos atentos a isso dentro de nossas empresas”, enfatizou o diretor.

O diretor titular da entidade, Maurício Colin

Depois o coordenador do NRH, Paulo Ruiz, que trabalha na área de RH da empresa Lepe falou da importância das indústrias incluírem em seus quadros os profissionais deficientes. “As indústrias precisam se preparar muito para fazer essa inclusão, que também é inclusão social”, disse Ruiz.
Finalizada a fala do coordenador o evento seguiu com as apresentações das três palestrantes convidadas: Dra. Karen Guerrini, médica fisiatra; a pastora Akiko Gulielmo e a neuropsicóloga Nívia Colin.

Dra. Karen Guerrini

A Dra. Karen, que trabalha no Instituto de Medicina Física e Reabilitação Rede Lucy Montoro, falou sobre reabilitação e terapia robótica.

A Pastora Akiko falou do seu trabalho com uma obra social, que iniciou em 2001, onde mantém um cadastro de 136 famílias que tem entes com deficiência como síndrome de Dawn, autismo, dentre outras deficiências.

Nívia Colin, esposa de Maurício Colin, dividiu seu conhecimento sobre a epilepsia. A neuropsicóloga, que tem o filho mais novo com epilepsia, falou de sua experiência a doença. Nívia disse que hoje são três milhões de pessoas com epilepsia no Brasil, e enfatizou a importância de ter sua família estruturada até mesmo para tratar bem o seu filho Felipe, que não tem crises há três anos e quatro meses.

A pastora Akiko Gulielmo

Nívia também falou do grupo que participa, Mães da Epilepsia, que reúne mais de 15 mil pessoas, entre mulheres, homens e médicos. Ela falou da importância dessa rede de ajuda, e também lembrou que 25 de março é o Dia de Conscientização da Epilepsia.

O evento ainda teve sorteio de brindes e contou com a apresentação do músico Vladimir Alves da Silva, que musicou o início e o final do evento.

O evento teve a o apoio da Faculdade Braz Cubas, Cucinare, Universidade Brasil, Comercial ZL e Elipse Publicidade.

 

 

A neuropsicóloga Nívia Colin

As mulheres presentes receberam flores do evento

Imprensa

Close